Descubra a história de Darwin na Segunda Guerra Mundial

Descubra a história de Darwin na Segunda Guerra Mundial

Aprenda sobre o dia em que a Segunda Guerra Mundial chegou à Austrália visitando as atrações históricas de Darwin.
Antes que as bombas começassem a cair, em uma quinta-feira, dia 19 de fevereiro de 1942, era uma manhã comum e úmida em Darwin. A 33 graus na sombra e 90% de umidade, os 2.000 residentes de Darwin – incluindo apenas 63 mulheres já estavam suando.

O calor foi a última de suas preocupações, quando às 9h58, aviões japoneses jogaram a primeira bomba sobre o porto de Darwin. Durante uma hora, mais de 300 bombas foram lançadas, matando 243 pessoas e ferindo 300. Muitos desses 188 aviões japoneses já haviam atacado Pearl Harbour há alguns meses.

Apesar de sua grande base militar, Darwin estava mal equipada para lidar com primeiro ataque inimigo à Austrália. Sem água, eletricidade, comunicação ou uma liderança clara e enfrentando rumores de uma invasão aérea dos inimigos, a população de Darwin entrou em pânico.

Muitos soldados abandonaram o treinamento, se juntando a civis que fugiram da cidade. As pessoas correram, pedalaram suas bicicletas, seguiram a cavalo e dirigiram seu carros sem parar até chegarem a Adelaide River, uma pequena comunidade rural a 115 km de Darwin. Depois chamada de ‘fuga para Adelaide River’, esse êxodo para o sul está documentado no novo filme épico de Baz Lurhman, Austrália.

O ataque a Darwin e o caos e o medo criados e a fuga foram abafados pelo governo australianos. Preocupados com o estado de espírito do país apenas alguns dias depois de o Japão ter dominado Cingapura, eles divulgaram que 17 pessoas haviam morrido e 24 estavam feridas em Darwin, escondendo os verdadeiros números. Nos 18 meses que se seguiram, Darwin perdeu mais de 1.000 habitantes, em um total de 64 ataques aéreos. A censura à mídia fez com que poucos australianos soubessem da gravidade dos ataques mais longos sofridos pelo país.

Você pode explorar a história de Darwin na Segunda Guerra Mundial em pontos espalhados por toda a cidade. Temos aviões bombardeiros B52 originais no Aviation Heritage Centre e várias pistas de decolagem antigas espalhadas pela cidade. Visite os depósitos de munição que faziam parte da linha de defesa do norte da Austrália no Charles Darwin National Park ou veja vestígios de um acampamento para 100.000 militares no Berry Springs Nature Park, a 47 quilômetros ao sul de Darwin.

No East Point Military Museum, perto do centro da cidade, você pode caminhar pelo abrigo antiaéreo onde a estratégia de defesa do Extremo Norte (Top End) foi planejada, e ver filmagens ao vivo do bombardeio que levou a Austrália a entrar na guerra. Caminhe pelos túneis de armazenamento de petróleo durante a Guerra que passavam por baixo da cidade ou visite os postos de observação da artilharia na Casurina Coastal Reserve, também um local aborígine sagrado.

Você também pode aprender sobre a história do Extremo Norte na época da guerra em um passeio ou roteiro de carro de Darwin até a Stuart Highway. Veja pistas de pouso militares alinhadas ao longo da estrada e visite o museu e o cemitério de guerra no Adelaide River. Saiba como era a vida em Katherine durante a Guerra e ouça histórias dos locais sobre esse período enquanto saboreia uma cerveja gelada nos vilarejos coloridos e históricos de Larrimah e Daly Waters.

Mais ideias australianas