Prison Break em Port Arthur

Prison Break em Port Arthur

Mergulhe na história fascinante de ‘prisão inescapável da Tasmânia’.
Se a série Prison Break tivesse sido filmada na Austrália do século XIX, o local histórico de Port Arthur na Tasmânia, na Península Tasman, seria certamente a locação escolhida. Separado da Tasmânia por uma estreita faixa de terra e cercado por águas infestadas de tubarões, Port Arthur foi vendida como a ‘prisão inescapável’. Mas ao contrário das câmeras de vigilância de hoje, guardas e cães famintos protegiam o único ponto de saída.

Passeie pelos jardins vitorianos e você terá dificuldades em imaginar que este local já foi uma prisão terrível que abrigava 1.100 prisioneiros na sua época de maior atividade. Port Arthur surgiu em 1830 como um pequeno posto madeireiro e, de 1833 até a década de 50, alguns dos criminosos mais terríveis vieram para trabalhar no local. Hoje é possível examinar seu trabalho escravo em uma caminhada guiada de quarenta minutos dos vários edifícios, ruínas e casas restauradas do local.

Siga o Convict Water Supply Trail passando por reservatórios, aquedutos, moinhos e rodas d’água, ruínas do moinho de farinha construído em 1843. Explore os dormitórios, refeitórios, biblioteca e capela católica da penitenciária, no que foi convertida em 1857. Imagine a empresa de construção de barcos marítimos das docas que empregou mais de 70 condenados em seu auge. Caminhe pelas alas, cozinhas, restaurantes, lavanderia e necrotério do hospital construído em 1841 e 1842. Veja a prisão solitária com 80 celas onde os prisioneiros eram mantidos encapuzados e em total isolamento. Desde 1848, ela simbolizada o que era considerada uma abordagem nova e mais humana da prisão, onde a punição psicológica substituía o açoitamento. Na verdade, Port Arthur era tão violenta quanto as outras colônias penais e muitos condenados acabaram sofrendo com doenças mentais decorrentes do isolamento. Em 1864, foi construído um hospício para abrigá-los.

Você verá porque muitos se arriscaram em tentativas de fuga. Em 1842, o fugitivo Martin Cash e dois amigos escaparam nadando pelas águas infestadas de tubarões, suas roupas amarradas em trouxas no topo da cabeça. Cash contou sua história na famosa autobiografia de 1870 As Aventuras de Martin Cash. Menos sucesso teve George ‘Billy’ Hunt, que tentou fugir por terra coberto por pele de canguru. Os guardas famintos atiraram nele, na esperança de caçar o canguru para o jantar. Foi quando Hunt tirou sua fantasia e se entregou, recebendo 150 chibatadas.

Para muitos, a única saída era a morte. Hoje é possível cruzar até a Isle of the Dead, onde todos os que morriam dentro da prisão eram enterrados. Faça uma visita guiada e aprenda sobre prisioneiros, soldados e civis que fizeram parte da história Port Arthur, suas vidas homenageadas nas 1.646 sepulturas. Ou ouça histórias sobre suas assustadoras aparições em um passeio de lanterna por locais assombrados. As lendas falam de celas onde é possível ouvir gritos de fantasmas e cadeiras que balançam sozinhas.

Visite a Point Puer Boys Prison, a primeira prisão para meninos do Império Britânico. Cerca de 3.000 meninos com idades entre 9 e 16 estavam sujeitos à rigorosa disciplina de Puer e às suas punições severas. Hoje é possível caminhar pelas ruínas dos edifícios que eles construíram, tudo em um cenário de terras selvagens que mudou pouco desde o século XIX.

Em 1870, o número de condenados tinha caído drasticamente e os que restavam estavam muito velhos, doentes ou loucos para serem usados como mão-de-obra. O último prisioneiro deixou a prisão em 1877, e o local foi rebatizado de Carnarvon. Durante a década de 1880, as pessoas compraram pedaços de terra e formaram novas comunidades na região. Em 1895 e 1897, incêndios devastadores destruíram a região, derrubando muitos prédios antigos. Apesar disso, a cidade continuou a crescer, atraindo muitos turistas fascinados pela história da região.

Hoje você pode ser um deles, percorrendo as memórias de uma antiga prisão onde a liberdade era um sonho distante. Com a estrada Convict Trail e serviços regulares de ônibus entre Port Arthur e Hobart, você tem vários meios de escapar.

Mais ideias australianas